segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Dois mil e quatorze

Dois mil e quatorze bate à porta e como diria Toquinho : " E ali logo em frente a esperar pela gente o futuro está."

O futuro é uma incógnita, não podemos fazer previsões acertadas, nem temos definições absolutas do que está por vir, mas podemos e devemos planejar. Estabelecer metas, parâmetros, definir aquilo que vai nos nortear em 2014.

Se "nessa estrada não nos cabe conhecer ou ver o que virá" é nosso papel abrir nosso coração e nossa alma pra vida. Desfrutá-la, vivê-la intensamente. Se "o fim dela ninguém sabe bem ao certo onde vai dar" é nosso dever empenharmos toda nossa energia diariamente, tornando a nossa existência vibrante.

É...Não é possível  prever o futuro, mas dá pra amar com vontade, pra desempenhar nossas funções com excelência - sejam elas quais forem, a gente consegue olhar nos olhos e sorrir inteiro, dá pra distribuir carinho, conter os excessos, eliminar intolerâncias, dá pra perdoar,  estender a mão ao aflito, aconchegar, é totalmente possível  batalhar e correr atrás dos seus sonhos. Dá pra recomeçar,caminhar com fé, consertar onde errou, virar seu mundo do avesso, extravasar, agradecer, se dedicar ao que interessa, desapegar, desenvolver projetos, apostar na gentileza. Acredite, em 2014 dá pra brilhar!!

A todos vocês que um 2014 vibrante!!




Dois mil e treze

Dois mil e treze meu camarada, quantas surpresas me reservaste hein! Foi um ano de muitos aprendizados. 

A palavra desse ano foi decisão!!

Decidi eliminar coisas e pessoas da minha vida e o fiz.
Decidi me dedicar mais a minha família e assim foi.
Decidi investir pesado no meu escritório e demos um grande salto.
Decidi ignorar completamente o que fosse supérfluo e obtive bons resultados. 
Decidi fazer o mestrado e, passei! 
Decidi supervalorizar os bons sentimentos e esquecer os ruins, e alcancei leveza inexprimível. 

Foi um ano com alguns probleminas, mas com milhões de bênçãos!!! 

Obrigada Senhor pelos aprendizados, pelo cuidado, e que 2014 traga renovação! 

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Caminho

A vida é caminho. 
Não temos escolha: ou seguimos rumo ao desconhecido com nossos próprios passos ou permanecemos estagnados enquanto a vida trata de nos levar. 
Eu prefiro caminhar.
Passos firmes apesar das incertezas da estrada.
Determinação para atravessar os obstáculos que surgem pelo caminho.
Coragem para enfrentar o inesperado.
Leveza para não obstruir as passagens. 
Atenção com as placas de sinalização que o tempo nos mostra ao longo do trajeto. 
Passos cuidadosos para não cair nas armadilhas durante o percurso.
Pausas para avaliação da extensão já percorrida e definição de novos rumos. 
Evitar descidas muito íngremes. Reergue-se após os tropeços. 
Caminhar sempre, descansar se preciso, e parar somente quando a vida se encarregar de finalizar nossa trajetória. 


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Dezembrando

Dezembrar envolve reflexão, retrospectiva, avaliação, planejamento,e para mim, envolve ação transformadora.

Como coordenadora da Ação Solidária da minha igreja, todos os anos coloco em prática o projeto que a Igreja Adventista idealizou e denominou como "Mutirão de Natal". É uma campanha de arrecadação de alimentos para beneficiar famílias carentes.

É bonito ver o envolvimento da família cristã. Neste ano, arrecadamos aproximadamente duas toneladas de alimentos e beneficiamos quase cem famílias carentes que foram previamente cadastradas. 

As cestas de Natal foram entregues no último sábado, após um bonito musical dirigido pela cantora espanhola Angie de La Mota. Foi gratificante e motivador. Cada vez que vemos a alegria de quem foi beneficiado, sentimos o desejo de intensificar nossas ações sociais.

Nosso lema é transformar o mundo, uma vida de cada vez. Foi isso que Jesus fez quando passou por aqui e Ele espera que façamos o mesmo. 

















terça-feira, 10 de dezembro de 2013

A Arte de Ensinar

Tenho profunda admiração pela profissão de professor, afinal, todas as demais perpassam por ela. Mas, quando me refiro a professor, não estou dizendo daqueles que um dia escolheram essa profissão (tão prejudicada ao longo do tempo) e hoje cumprem com suas obrigações, pois dependem dela para sobreviver. A esses eu respeito e entendo. O sistema realmente é injusto com vocês. 

Admiração eu tenho pelos mestres. Àqueles que se dedicam à arte de ensinar. Aos que compartilham conhecimento com maestria e que influenciam positivamente a vida de seus aprendizes. Durante a graduação, tive a sorte de conviver com mestres assim e hoje, quero dedicar essa postagem a uma professora que tem ligação direta com minha mais nova conquista, a querida Tatiana Ribeiro de Souza.

Eu ainda não era sua aluna quando a procurei para conversar sobre monografia. Eu queria um tema na área de Direito Ambiental,  mas que tivesse ligação com o meio ambiente artificial. A Tatiana me daria essa matéria em semestre posterior, portanto não me conhecia, mas me atendeu prontamente e numa explicação informal e rápida, me apresentou o Estudo de Impacto de Vizinhança ,que estava dentro do que eu pretendia.

Saí dali direto para os livros. Pesquisei e decidi escrever sobre o assunto. Foi uma experiência proveitosa. Me dediquei muito e fui muito bem orientada, o que resultou em aprovação com cem pontos na monografia. Uma das exigências da monografia é que apresentássemos o assunto para uma turma que era escolhida pelo professor. No dia em que fiz a minha apresentação a Tatiana me disse ao final, você fala muito bem, você tem dom para ser professora. Faça mestrado e invista nisso.

Na pós-graduação, em Direito Ambiental, prossegui pesquisando sobre o EIV, numa abordagem diferente, mas com a mesma base de fundamentação. O problema é que a pós não me deu o que eu esperava, achei tudo muito superficial e eu queria me aprofundar no assunto.

Assim, decidi tentar o mestrado em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável pela UFMG, vendo uma oportunidade de trabalhar o EIV numa perspectiva prática, onde eu poderia demonstrar empiricamente a importância deste instituto jurídico.

Hoje Tati, quero lhe agradecer, por você ser uma professora brilhante. A você que nunca trata seus alunos como inferiores, antes nos incentiva a aproveitar nosso potencial. A você que não tem medo de compartilhar seu conhecimento e o que faz de maneira encantadora. A você que numa conversa de poucos minutos me apresentou um instrumento jurídico e despertou em mim o interesse em pesquisá-lo. A você que é pequena no tamanho, mas GIGANTE na sala de aula. A você que com sua postura diferenciada, com sua humanidade, seu carisma, influencia positivamente a carreira de seus alunos.

A você eu quero contar que sou a mais nova mestranda em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável da Universidade Federal de Minas Gerais!  Quinta colocação no processo seletivo.  Meu tema? Estudo de Impacto de Vizinhança (uma abordagem no Município de Sabará e a afetação sobre o patrimônio histórico da cidade) 

Você faz parte desse processo, e eu quero lhe agradecer imensamente por ter sido tão atenciosa comigo, por ter me dado dicas imprescindíveis na monografia e acima de tudo por ter me incentivado a seguir neste caminho. Ás vezes, a gente não faz ideia de que rumo uma simples conversa pode tomar.

Obrigada, obrigada e obrigada! 


Contando o milagre

Deus tem um tempo certo para todas as coisas. Sempre acreditei nisso. E Há quem duvide de milagres, mas eles existem. Vou contar um  pra vocês. 
No fim de 2012, naquele período de retrospectivas e planejamento, incluí em minhas metas o mestrado.
A idéia era começar a estudar desde o começo de 2013. Mas, o ano foi corrido, tumultuado, muitas responsabilidades e eu não conseguia começar a me dedicar ao estudos.
Do meio do ano pra cá, passei por uma sucessão de problemas, de forma  que comecei a desistir desse projeto. Em  conversa com uma mestranda da UFMG , meus planos foram de vez enterrados. Ela me disse: " ninguém entra na Federal sem percorrer um longo caminho. Você tem que fazer disciplina isolada, "vender" seu projeto para um professor, fazer contatos, direto você não entra." 
No início de novembro, saiu o edital. E, para mim, esse foi um dos meses mais difíceis do ano. Sabe aquele momento em que o fardo está pesado demais? Eu estava neste momento. Li e reli o edital e pensei, perda de tempo, não estou preparada. Sobretudo porque o mestrado que eu quero exigiria de mim um conhecimento além da minha área. Vez ou outra namorava o edital me culpando por não ter começado a estudar antes. 
Faltando 5 dias para o término das inscrições, algo dentro de mim começou a gritar: VOCÊ TEM QUE TENTAR. Enquanto eu me desanimava e repetia para mim mesma todas as impossibilidades, era como se ouvisse uma voz " Vai, Eu te ajudo." Eu entendi que era Deus falando comigo. E fui!!! 
Em 5 dias transcrevi para o papel o projeto de pesquisa idealizado, documentei meu currículo lattes (coisa chatíssima e demorada de se fazer), organizei documentação e fiz a inscrição. Tive 7 dias para ler os livros indicados para a prova, num total de 800 páginas,  foram noites em claro.
Quando cheguei para fazer a prova, tive vontade de sair correndo. Os inscritos todos se conheciam, faziam matérias isoladas, papeavam com os professores. Na hora me lembrei da fala daquela mestranda " direto você não entra." Como não dava pra correr, sentei e orei. Pedi a Deus calma e que me ajudasse a lembrar de tudo que estudei. Quando abri a prova me deu vontade de chorar, não de desespero, mas de alegria. As questões estavam no mesmo modo que organizei meus estudos. Tínhamos que falar sobre os principais conceitos trabalhados pelos autores lidos. Foram três horas escrevendo. No dia seguinte saiu o resultado das três primeiras etapas, quando vi não acreditei. 
Entre os trinta e cinco inscritos, 12 haviam sido eliminados. Entre os restantes eu estava na nona colocação. Impossível!  Arguição marcada já para o dia seguinte.  Fiz a entrevista numa sexta-feira e passei o fim de semana envolvida com projetos da igreja. Na segunda, a ansiedade tomou conta. As 14:30 saiu o resultado.
Aprovada, 5º lugar! O choro foi de alegria, de agradecimento a Deus. Eu sequer ia tentar o processo seletivo, porque eu tinha plena consciência de que não estava preparada. Mas eu havia por um instante esquecido que o meu Deus é justamente o Deus dos impossíveis.  
Obrigada Papai do Céu, nós dois sabemos que essa obra foi Tua, eu sei todas as coisas que o Senhor quis me dizer, eu entendi. Te agradeço imensamente!! 
E se você duvida de milagres, fique atento, eles acontecem e às vezes você sequer percebe! 

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Tributo aos vivos

Entre a sequência de tristezas que se entrelaçam à morte, está o ato de homenagear.
Diante da perda, parentes, amigos e afins tecem as mais lindas declarações. 
Nas redes sociais acompanhamos isso com frequência. Cada vez que leio uma dessas homenagens póstumas sinto um nó na garganta. Isso independe do meu grau de envolvimento com o falecido. (Morrer é uma tremenda sacanagem.)
Quando leio aquelas palavras cheias de sentimento sobre alguém que morreu eu já penso: "poxa vida, essa pessoa tinha ter lido isso antes de morrer!" Ela ficaria feliz em saber o quanto é querida. 
Mas, eu também me pergunto, porque é que a gente não tem o mesmo desprendimento para homenagear os vivos? 
É, esses que estão ao nosso redor, e sabe-se lá por quanto tempo permanecerão. 
Foi refletindo nisso que eu decidi, farei um tributo aos vivos. A partir de hoje, vez ou outra vou homenagear alguém que me é especial. E claro, em público. 
E vou começar agora, aproveitando essa insônia que me acomete.
Quero dedicar minha primeira menção ao meu amor. Esse homem abençoado que Deus colocou na minha vida. 
Ah querido, eu realmente não sei o que seria da minha vida sem você! Como você diz, você me deu um rumo. Sou Obrigada a admitir. Um encontro casual que mudou nossas vidas por completo. 
Você trouxe mais alegria pro meu mundo tão serio, mais equilíbrio pra minha impulsividade, mais calma pro meu estresse. Você me ajuda, me perdoa, me incentiva, me encoraja, me anima. 
A vida não teria graça sem você! 
Te amo muito! Sempre! 





segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Mais um Blog

E aí povo bonito do meu Brasil baronil!
Entre os tantos projetos que tenho desenvolvido na área profissional, estou à frente de um novo blog.
Um blog jurídico!
Dentro do que o estatuto de ética nos permite, estamos desenvolvendo ações para consolidar nossa marca.
A proposta do "Papo Jurídico" é falar sobre assuntos que interessam a todos e sobre os quais nós temos conhecimento.
Convido a você, meu seguidor aqui no Sutilezas e Amenidades a conhecer meu blog jurídico. Será um prazer interagir com você!

Vem gente!!

http://paposjuridicos.blogspot.com.br/








sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Cuidando de negócios

Como toda boa empreendedora estou ocupadíssima cuidando dos negócios. Empreender requer tempo, foco e determinação. Estamos ampliando nosso escritório e passando por uma fase de consolidação de nossa marca. Isso envolve várias reuniões, contatos, escrita de artigos, mil detalhes.
Hoje, enquanto realizava uma pesquisa para um novo artigo, encontrei um texto que li ano passado, cometi a gafe de não anotar o nome do livro e não consigo encontrá-lo no meu Iphone. Mas, o texto é digno de ser compartilhado.
Muito bacana, sobretudo pra quem quer ser empreendedor.

Ter o seu próprio negócio. Este é o sonho de muita gente que quer chutar o balde e dar adeus a todo vínculo com emprego e patrão. Porém o sonho pode acabar virando pesadelo se o profissional não entender claramente suas capacidades e limitações. O primeiro passo para quem tenta partir para seu próprio negocio é descobrir quem ele é.Algo que até os 3 porquinhos precisaram descobrir.
Era uma vez três porquinhos que vivam felizes na Floresta Encantanda LTDA. Seus nomes eram Prático, Schweinchen Schlau e Cícero.
Schweinchen Schlau era organizado, teórico e inflexível. Um bom administrador, porém vivendo no passado. Cícero, ao contrário, vivia no futuro. Sonhador e empreendendor, viaja para Hellman’s Airlines. Já o Prático era... bem, ele era prático, oras! Vivia no presente.
Sagazes os porquinhos perceberam q a tendência era a empresa livrar-se de tudo aquilo que não fizesse parte de seu core business, mandando muito mais do que três porquinhos de volta para casa. Alguns ficariam desempregados, outros terceirizados.Longe de significar uma ameaça, aquilo para eles era a realização do antigo sonho de viver sem emprego e sem patrão – iriam ser donos do próprio focinho.
Cada um saiu da empresa para se dedicar a projetos pessoais ou enfrentar novos desafios, como é costume dizer de executivos que perdem o emprego. Construíram cada um o seu home Office e, para afugentar o fantasma do desemprego, ouviam uma musiquinha no MP3 q baixaram da Internet: Quem tem medo do Lobo mau, Lobo Mau, Lobo Mau?
Porém, Prático logo percebeu que não era fácil tocar o próprio negocio no conforto do seu home Office de tijolos.Das oito horas diárias com direito a almoço e cafezinho que tinha no antigo emprego, passou a virar dezoito horas injetando café nas veias e colocando palitinhos nas pálpebras para o serviço ficar pronto para ontem. A tão sonhada liberdade virou pesadelo e ele acabou ouvindo outro MP3, desta vez “Meus tempos de Criança” para fazer coro com  Ataulfo Alves: “Eu era feliz e não sabia.” De empregado Prático passou a escravo.
Culpa do trabalho em casa? Não, culpa das habilidades que lhe faltavam para manter um negócio.No antigo emprego, Prático podia contar com o porquinho Cícero, sonhador e empreendedor, explorando tendências e criando novas oportunidades de negócios.Podia contar também com o suporte de Schweinchen Schlau, o organizado porquinho administrador. Somente agora percebia a importância do administrador e do empreendedor ao seu lado.
Antes, enquanto Prático executava o trabalho de rotina, eram eles que cuidavam do planejamento, desenvolviam novos produtos, compravam, vendiam, cuidavam da contabilidade, dos serviços bancários e até de providenciar que o café fosse servido e o lixo colocado na rua. Agora, adivinhe quem fazia o próprio café ou colocava lixo na rua? Sem falar, comprar, vender, ir ao banco, manter a contabilidade em dia, atender ao telefone e buscar os leitõezinhos na escola. Prático entendeu que a expressão três em um não era marmelada.
Onde errou? Na verdade, não errou, como não erra qualquer porquinho que sonhe ser dono de seu próprio negocio ou decida trabalhar em regime de home Office. A principio Prático teve a visão e a motivação necessárias para começar, mas tão logo a adrenalina secou ele voltou à rotina.Tinha que executar o trabalho do dia-a-dia e não sobrava tempo para ser, além de Prático, administrador e empreendedor. O cliente estava sempre pedindo o serviço para ontem. A empresa de Prático acabou ficando uma porcaria. O que fazer? Ele começou a pensar. Terceirizar! Foi a solução q tinham adotado na empresa onde trabalhou. Faria o mesmo. Contrataria fornecedores para os serviços que não podia,não sabia ou não queria fazer.Valendo-se da tecnologia da informação, Prático criou uma estrutura que lhe permitisse trabalhar conectado e integrado à sua rede de fornecedores, clientes e parceiros.
Schweinchen Schlau foi o primeiro cujos serviços contratou. Confortavelmente instalado em um home Office de madeira, passou a cuidar das tarefas administrativas para Prático. Cícero foi o segundo, consultor de novas tendências de negócios que, de seu home Office de palha, apontava para Prático os novos rumos e tendências. Algumas de suas idéias eram só fogo- de- palha como sua casa, mas todos entendiam que isso fazia parte do trabalho de criatividade de todo empreendedor. A coisa começou a funcionar. Os três tinham descoberto uma nova forma de se trabalhar.

E o Lobo Mau? Eu sabia que você ia perguntar  Bem, o Lobo Mau tem enviado currículos para diversas empresas, de tijolos, madeiras e palha, mas as portas não se abrem para ele. Deve ser por causa da idade, falta de atualização ou por não falar inglês. Como o que lhe resta de fôlego, continua tentando. Até agora só recebeu resposta da Floresta Encantada Ltda. em um email padrão, enviado a centenas de profissionais de todas as áreas, q diz apenas: Lamentos informar que o emprego que você procura não existe mais.”

A vida é isso minha gente, uma constante renovação, seja no pessoal ou nos negócios. Quem fica estagnado é engolido pelos inovadores.

Foto de nosso novo escritório:




                                         







                                         

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Como você mede?

Se tem algo realmente gratificante nas redes sociais é interagir com gente interessante. No meio das balelas, frases feitas, futilidades e todo arsenal de porcarias que circundam os ambientes virtuais é uma alegria conhecer pessoas especiais que utilizam a web de forma inteligente.
Tive o prazer de "conhecer" no twitter a talentosa atriz Cláudia Helena Tavares. A alagoana é apresentadora da Revista Com Tudo que apresenta um programa diário na Rádio Farol Melodia. É coordenadora de Produção na empresa Embalos do Velho Chico Produções Artísticas e atriz na CIA Penedense de Teatro. 

Acrescento em seu currículo alegria, alto astral, bom humor, leveza e humanidade. É aquele tipo de gente que inspira. Dia desses, li o seguinte trecho de Seasons of Love em seu facebook :

"Como você mede...

Mede um ano?

Em dias? Em Pores-do-sol?

Em meia-noites? Em copos de cafe?

Em centímetros? Em milhas?

Em risos? Em lutas?" 

Essa leitura apertou o gatilho da minha memória e comecei a pensar na grandiosidade de nossas vidas. No quanto somos mesquinhos às vezes, medindo nossa existência por meros acontecimentos ou momentos ruins.

Numa fração de segundos, recordei toda minha história e uma sensação de paz invadiu minha alma. 
Sem dúvida , nossa trajetória é nossa melhor medida. O que são dias e anos diante da infinidade de momentos maravilhosos que vivenciamos?

Tardes admirando o mar, madrugadas estudando, encontros, sabores da infância, dificuldades, viagens, desencontros, luas cheias, conflitos, pássaros em revoada, amores, realizações, sorrisos, amigos, partidas, arco-íris, lágrimas, batalhas, vínculos familiares, bombons, TPM's, conquistas, doenças, recomeços, decisões, questionamentos, saberes, gargalhadas, paradigmas, adolescência, gentilezas, livros, tardes pitorescas, molecagens, por-do-sol, et cetera, et  cetera, et cetera...

Eu ficaria horas rebuscando na mente palavras que me remetam às incontáveis horas deliciosas que já vivi. Porque a vida é isso: um conjunto inesgotável de momentos, cores e sabores. Ao mesmo tempo, a vida é um fio. Sobre ela nos equilibramos e lutamos com unhas e dentes para que não se parta. Se não sabemos quando a linha vai se romper, nem a nossa, nem a de nossos queridos, nos resta vivê-la bem, intensamente, saboreando as delícias de cada dia e distribuindo nosso melhor aos que nos cercam.

Claudinha, obrigada por sempre partilhar conosco o seu melhor lado. Concordo com você, estamos neste mundo para sermos e fazermos as pessoas se sentirem bem.



segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Punk!


Ouvi uma frase hoje, num programa da Multishow que desencadeou uma reflexão em mim. 
O assunto era música. Um jovem todo vestido de preto e com tachas pelo corpo se dizia "punk". 
Outro, um homem de cabelos  grisalhos e roupa social respondeu: "punk sou eu, que acordo todos os dias às seis da manhã, não gosto mas acordo, porque tenho uma vida pra cuidar.
Fiquei pensando em quantas coisas "punks" a gente encara dia a dia.
Segunda-feira por exemplo, não importa a idade, a profissão, todos concordam que a segundona é punk.
É punk a violência que assistimos no nosso Brasil, o risco que corremos de sermos vítima dela.
Ter excesso de responsabilidade e ter que rebolar para cumprir todas satisfatoriamente é muito punk. 
É punk ter que ir para o escritório diariamente trabalhada na elegância, em cima de um salto, quando muitas vezes nosso sonho é ir de pijama e havaianas.
É punk doença na família, despedir-se de gente querida, desejo de comer Mac Donald's à três da manhã. 
Ignorar um desafeto por anos a fio e a pessoa ainda jurar que você a nota é punk. 
É punk lavar vasilha, enfrentar o trânsito em horário de pico, ter uma caixa lotada de emails chatos pra responder. 
Conviver com pessoas mal humoradas, trabalhar com gente descompromissada, tolerar os pobres de espírito é super punk.
É punk a corrupção presente em todos setores do país. 
Falta de senso, erro médico, o caos na educação, a anarquia das manifestações, a miséria, o trabalho infantil, tudo isso é pra lá de punk.
Enfim, não importa qual o estilo musical que tonaliza os nossos dias, no fundo, no fundo, todos nós temos um lado  muito punk! 

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Viver não dói


Pode até me faltar tempo livre mas não abro mão dos minutos diários dedicados à boa leitura.
Compartilho com vocês, trecho do livro "Viver não dói" de Leila Ferreira.

"Então vem a constatação do quanto a vida é capaz de nos surpreender, arrebatar, desconcertar, e de como aquilo que se chama viver mistura alegrias, sofrimento, paixão, perdas, riso, começos, recomeços, fins... E a gente vai processando tudo isso como pode, se equilibrando numa espécie de traçado invisível que percorre as mais diversas topografias e atravessa as mais distintas paisagens.
Fácil não é, claro. Até os mais otimistas concordam que a vida é osso duro de roer- entre outras coisas, exige apetite, persistência e dentes afiados. Mas é também um exercício apaixonante."



terça-feira, 8 de outubro de 2013

Pelo amor do bom senso

Afinal, o que fizeram com as liberdade de pensamento e expressão???
Não é desconhecido nem pelo senso comum, que durante um extenso lapso temporal estas duas liberdades
foram suprimidas.
Houve um tempo em que se tentou conduzir o próprio pensamento humano. O acesso ao conhecimento foi negado, o saber foi proibido, e para os poucos, que a despeito de tudo conseguiam algum avanço intelectual, a liberdade de expressão foi totalmente tolhida.
Se tem um contexto histórico que acho admirável é o da luta pelos direitos fundamentais. Quando viu-se organizado em sociedade, o homem se dispôs a lutar pelos direitos que lhe são inerentes, dentre os quais, as liberdades ocupam a primeira dimensão de direitos que foram pleiteados.
Se nossos pioneiros vissem o que tem sido feito da liberdade de pensamento e expressão diriam : que desperdício!!!!
O mau uso dessas liberdades é uma desonra a toda luta que se desenvolveu para que esses direitos fossem alcançados.
O ser humano que hoje pode pensar livremente, que tem acesso a um inesgotável acervo de conhecimentos variados, que tem a tecnologia a favor do saber, simplesmente optou por não pensar. Perdeu-se o interesse em desenvolver raciocínios próprios, em criar teses, teorias, argumentos. A moda agora é copiar. 
As pessoas não buscam ler, se inteirar dos fatos, não observam o mundo, não vêem a natureza, não condescendem com os sentimentos.
Elas apenas se apropriam de ideias alheias, copiam daqueles que pensaram um dia, ou dos que ainda estão entre nós e fazem valer o direito ao livre pensamento.
Com isso, perdemos todos. Perdem os pensadores, que estão ficando banalizados com as milhares de frases copiadas e jogadas ao vento em redes sociais, onde os não pensantes, sequer se dão ao trabalho de indicar a fonte de tal conhecimento.
Perdem os que copiam, pois deixam de se aventurar no mundo do conhecimento, se fecham pro saber, se contentam em fingir que sabem.
Perdem os que pensam e que respeitam os grandes pensadores, pois ficam indignados com o descaso cometido com a liberdade de pensamento.
Se não respeitam o livre pensamento, o que dizer da liberdade de expressão? Bom, aí a coisa complica-se ainda mais. Assistimos diariamente uma enxurrada de lixo sendo dita e escrita livremente.
Pelo amor do bom senso, é preciso que alguém lance uma cartilha explicando esse tema. Porque acredita-se, simploriamente, que ser livre para expressar-se é dizer  ou escrever qualquer asneira por aí. As pessoas perderam a noção básica do senso, do discernimento, do ridículo. Dizem, e não medem consequências.
A questão é tão trivial, que há até quem se prejudique seriamente por não saber utilizar a liberdade de expressão.
E pensar que quando essas duas liberdades não existiam é que  grandes mestres do conhecimento teciam seus saberes. Quanta coisa se perdeu no  meio desse caminho...
Afinal, o que fizeram com as liberdade de pensamento e expressão???
Mau uso, foi isso que fizeram.




sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Renovação

No percurso até  meu escritório observei várias árvores desfolhadas. São apenas galhos, retrato do efeito outonal.
 Fiquei imaginado o status quo ante dessas árvores.  Outro dia estavam repletas de folhas verdes. Pássaros pousavam por ali. Borboletas dançavam em suas folhas. Lagartas, formigas, mosquitos, várias espécies desfrutavam da vida naquela árvore.
E então vem o outono e com seu vento varre tudo. Os "visitantes" da árvore se vão, mas ela permanece ali, inabalável. Ela não se abate porque conhece o processo de renovação. Sabe que o desfolhar é uma estratégia essencial para a sua subsistência.  
A árvore, que deixa de produzir clorofila neste período, o que resulta no amarelamento e queda de suas folhas, o faz para poupar energia e sobreviver as intempéries do inverno. Quando este período passa, assistimos a renovação de suas folhas e flores. É o bonito espetáculo da primavera.
Nos seres humanos ocorre algo similar. Eu sempre digo, a vida é um círculo. Não estamos fadados ao imutável, tudo ao nosso redor gira o tempo todo. 
Pode ser que em algum momento sejamos assolados pelo efeito outonal. Pode ser que alguns sonhos sejam levados pelo vento, alguns projetos podem declinar, alguns problemas podem derrubar nosso ânimo, mas fiquemos firmes!! 
Assim como a árvore, nós temos consciência que é preciso desfolhar para florescer. Passagens de estação são fundamentais para nosso amadurecimento e renovação.
Se hoje, você estiver enfrentando o outono na sua vida, fique tranquilo, se apegue à certeza de que em breve a primavera virá te visitar. Ela sempre vem. 



terça-feira, 1 de outubro de 2013

Se você nunca leu os livros de José Saramago faça um favor a si mesmo, LEIA! Veja o que não foi visto.

"A viagem não acaba nunca. Só os viajantes acabam. E mesmo estes podem prolongar-se em memória, em lembrança, em narrativa.

O fim de uma viagem é apenas o começo de outra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na primavera o que se vira no verão,  ver de dia o que se viu de noite, com o sol onde primeiramente a chuva caía, ver a seara verde, o fruto maduro, a pedra que mudou de lugar, a sombra que aqui não estava.


É preciso voltar aos passos que foram dados, para repetir e para traçar caminhos novos ao lado deles. É preciso recomeçar a viagem. Sempre."

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Eu atravesso as coisas — e no meio da travessia não vejo!
      só estava era entretido na idéia dos lugares de saída e de chegada.
                                                Assaz o senhor sabe: a gente quer passar um rio a nado, e passa;
 mas  vai dar na outra banda é num ponto mais embaixo,
bem diverso do que em primeiro se pensou (...)
o real  não está na saída nem na chegada:
ele se dispõe para a gente é no meio da travessia...” 
(João Guimarães Rosa, 1986: 26-52).

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

E de manhã cedinho enquanto enfrento o trânsito caótico para chegar ao trabalho, me distraio observando quanta coisa bela existe ao nosso redor.
Uma árvore desfolhada pelo vento.
Uma mãe que leva a filha para escola, andando juntinhas de mãos dadas.
Um azul diferente no céu da manhã.
Um senhor que faz caminhada na lagoa.
Pássaros em revoada.
Um casal que discute relação parado ao meu lado no semáforo. A mulher grita estérica enquanto o homem sorri como quem diz "eu já sei que isso passa."
Ipês amarelos florindo e encantando tudo ao redor.
Um rapaz que me pede passagem e sorri agradecendo quando o deixo entrar na minha frente.
Tanta coisinha boba, coisas do dia a dia, mas que eu acho singelas e especiais.
Foi quando comecei a reparar nos pequenos detalhes cotidianos que meus dias se tornaram mais leves, mais coloridos e amenos.
É como li num livro esses dias : "O tempo é como um encantamento, a gente nunca tem o quanto imagina."
É por essas e outras que e não perco tempo, vivo cada minuto da forma mais linda possível.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Que dia mais feliz!

Vida, sua linda!!
Sempre que me perguntam se eu acredito em milagre, respondo: claro que sim, eu sou um milagre!! E sou mesmo.  
Sofri um acidente aos três anos de idade, um tanque de cimento caiu sobre mim. Cheguei no hospital das clinicas em São Paulo com três hemorragias internas. Os médicos disseram aos meus pais que era praticamente impossível eu sobreviver. Me deram 0,5% de chance de vida. Um médico disse a minha mãe, se você tem fé, reze!! 
E foi isso que ela fez. Pediu a Deus pela minha vida. Foram 10 horas de cirurgia. Precisei de 21 doadores de sangue. Dias de UTI, mas o milagre aconteceu!! Sobrevivi e sem seqüela alguma. Milagre completo!!
Agradeço a Deus diariamente pela minha vida, mas no meu aniversário gosto de relembrar esse fato, porque eu sei que Deus tinha um propósito para a minha vida e eu o louvo por isso!!
Deus tem me abençoado ricamente. Mais que vida, eu tenho uma vida digna, realizada e feliz! 
A Deus a minha eterna gratidão! 
Hoje é o meu dia que dia mais feliz!!! 


quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Coisas da vida

Hoje meus filhos saíram cedo de casa para irem a Ouro Preto numa excursão da escola.
Saíram felizes e animados. 
Aproximadamente quarenta minutos depois o motorista do escolar liga avisando que estava voltando com eles, pois um aluno da escola falecera e a excursão fora cancelada.
Eles chegaram arrasados. E revoltados.
Um motorista de caminhão atropelou e matou uma criança de 12 anos, e fugiu.
Minha filha de apenas dez anos que é amiguinha da irmã da vitima, ficou atônita. 
Meu filho era amigo da vitima e foi tomado de uma fúria ardente.
Eu fiquei em choque, milhões de coisas passando pela cabeça, enquanto reparava na tristeza dos meus filhos.
A linha entre a vida e a morte está cada vez mais tênue. E o pior é que as atitudes humanas dão causa a tragédias.
Os seres humanos perderam o senso de responsabilidade. 
Passo pela Lagoa da Pampulha todos os dias e o cenário é sempre o mesmo: os motoristas invadem a linha dos ciclistas para ganhar alguns segundos no trânsito.
O que será que se passa na cabeça das pessoas?? Será que ninguém avalia que pode matar ou ferir alguém nessa ânsia de ganhar tempo?
Como pode um ser humano passar por cima de uma criança e fugir? 
Onde vamos parar com esse egoísmo?? 
As pessoas só olham para seus próprios umbigos, se concentram apenas em seus interesses. Vale tudo para satisfazer a própria vontade. 
É esse desrespeito com o outro que está  tornando a vivência humana insuportável.
Se nós seguíssemos o ensinamento de Jesus " ama teu próximo como a ti mesmo" o mundo seria um lugar melhor.
Hoje estou triste. Triste pela dor dessa família, pelo futuro, sonhos e planos do Clayton que faleceram com ele. Triste porque as autoridades municipais não tomam atitudes que preservariam vidas. Triste porque a atitude deste motorista me faz ver que o ser humano está cada vez mais podre.
Chamam esses acontecimentos de coisas da vida, eu chamo de coisas de um mundo sem coração.



 

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Tudo novo, de novo!

Oi gente! Sobrevivi a duas mudanças.
Agora estou na fase de decorar casa e escritório novo.
Fase gostosa essa! 
O tempo está escasso, mas se me falta disponibilidade pra escrever, deixo-vos algo escrito por Ana Jácomo, que traduz bem o meu momento. 
Abençoada seja a vida de vocês!!! 


“Abençoadas sejam as surpresas risonhas do caminho. As belezas que se mostram sem fazer suspense. As afeições compartilhadas sem esforço. As vezes em que a vida nos tira pra dançar sem nos dar tempo de recusar o convite. As maravilhas todas da natureza, sempre surpreendentes, à espera da nossa entrega apreciativa. A compreensão que floresce, clara e mansa, quando os olhos que veem são da bondade. Abençoados sejam os presentes fáceis de serem abertos. Os encantos que desnudam o erotismo da alma. Os momentos felizes que passam longe das catracas da expectativa. Os improvisos bons que desmancham o penteado arrumadinho dos roteiros da gente. Os diálogos que acontecem no idioma pátrio do coração. Abençoada seja a leveza, meu Deus.

Abençoadas sejam as dádivas generosas que vêm nos lembrar que viver pode ser mais fácil. Que amar e ser amado pode ser mais fluido. Que dá pra girar o dial. Que dá pra sair da frequência da escassez e sintonizar a estação da disponibilidade, onde alegrias já cantam, mas a gente não ouve. Abençoadas sejam as dádivas que vêm nos lembrar, com alívio, que há lugares de descanso para os nossos cansaços. Que há lugares de afrouxamento para os nossos apertos. Que dá pra mudar o foco. Que não é tão complicado assim saborear a graça possível que mora em cada instante.
Abençoadas sejam as dádivas generosas que nos surpreendem. Elas não sabem o quanto às vezes, tantas vezes, nos salvam de nós mesmos.”

domingo, 8 de setembro de 2013

Mudanças

Estou mudando de casa e de escritório.
De casa, porque queria um ambiente novo e maior. Mais espaço físico para a nossa família.
De escritório porque a nossa demanda aumentou demais e precisavámos de um ambiente maior e mais sofisticado.
Não sei se foi uma boa ideia fazer as duas mudanças ao mesmo tempo. Estou exausta.
Hoje, enquanto levava caixas e mais caixas para meu novo ap fiquei pensando: que trabalheira dá uma mudança! Até a mudança propriamente dita, há um longo processo.
Temos que revisar nossas coisas, nos desfazer das velhas ou ultrapassadas.
Embalar tudo, identificar as caixas. Transportar. Temos que adquirir utensílios que se ajustem a nosso novo ambiente e por fim, organizar todas as nossas coisas.
Parei agora pra descansar um pouco, o corpo já dói com o excesso de esforço, e então me peguei analisando a nossa trajetória. Mudanças pessoais sempre são necessárias, ou a pessoa muda ou se torna obsoleta.
Temos que mudar conceitos, visões, comportamentos, perspectivas. E exatamente como numa mudança de ambiente, isso dá uma trabalheira danada! Talvez seja por isso que pouca gente se esforce pra mudar.
Às vezes a preguiça de encarar o desafio da mudança é tão grande que as pessoas preferem se deixar estar.
E ficam ali, com os mesmos problemas, as mesmas desventuras, com os mesmos preconceitos,  a mesma deselegância no comportamento, o  mesmo olhar sobre tudo, com a mesma falta de propósitos, o mesmo conformismo. 
Eu não. Eu me nego a aceitar mais do mesmo. Eu encaro qualquer parada quando a mudança se faz necessária para meu crescimento enquanto pessoa.
Posso terminar o dia cansada, fatigada, mas vamos combinar antes ser "uma metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo."

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Sorte

Sorte???? Eu não acredito em "sorte" nessa roupagem simplória que o senso comum  lhe oferece.
Para mim, sorte é uma benesse da vida dada a quem merece.
Acredito na lei da colheita, se você se dedica e espalha boas sementes no solo da vida, certamente terá a "sorte" de colher bons frutos.
Você vai seguindo seu caminho, observando valores universais, respeitando os seres humanos, se empenhando em ser alguém melhor a cada dia. Você estuda, trabalha, cuida das pessoas ao seu redor, sorri sincero, é gentil, cortês, solidário.
E de repente, uma oportunidade ótima bate a sua porta e você vem me dizer que isso é sorte? Que nada, é um presente da vida que está ali assistindo de camarote seu jeito de lidar com o mundo.
A sorte existe sim, mas pode acreditar, só se dá pra quem faz por merecer.
Por isso eu sempre digo, esteja atento às suas atitudes, à sua forma às vezes tão egoísta e superficial de lidar com a vida. Existe uma lei universal que transcende o entendimento humano, mas que está aí para todo mundo ver: Tudo que você emite retorna a fonte.
Então, sejamos fonte de amor, paz, fé, sorrisos, solidariedade, otimismo, determinação, empenho, paciência.
Plante sementes dos melhores sentimentos e quando você menos esperar a "sorte" vai cruzar o teu caminho.
Pode apostar.


segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Experiências

Experiências: eis a mola propulsora de toda vida interessante.
Vidas dinâmicas dão aos seus protagonistas um vasto acervo de histórias. São essas vivências que formam seres diferenciados.
Já reparou que algumas pessoas tem tudo pra serem interessantes, mas são insossas? É falta de bagagem. Tornam-se sem sal, estáticas e cansativas. Podem ser fisicamente sensacionais mas com a falta de experiências se tornam sem atrativo nenhum. É um grupo comumente chamado de sem sal.
Me admira que em um mundo com tantas possibilidades as pessoas consigam viver uma eterna mesmice. 
Pois eu lhes digo: se atrevam! Desbravem as oportunidades ao seu redor, vivam novas experiências! 
Do grátis ao elevado custo há uma variedade de coisas que você pode fazer. Nem sempre a vida que você optou viver vai te levar naturalmente a novidades, mas não tem problema, se você quiser há sempre algo novo para experimentar.
Comece fazendo o necessário ( estude, faça uma pós-graduaçao, aprenda outra língua) 
Faça algo útil ( se envolva numa causa social, faça um curso de atualização na sua área, vá a um Congresso) 
Faça algo inusitado ( um curso de fotografia, viaje pro exterior ou pra uma cidadezinha histórica)
Experimente coisas simples ( leia bons livros, visite um museu, assista um por do sol)
Faça coisas bobas ( dê cambalhotas com seus filhos, cante e dance no chuveiro)
Seja humano ( auxilie um idoso numa travessia, sorria para um morador de rua, anime alguém angustiado)
As possibilidades estão aí, faça qualquer coisa, mas pelo amor de Deus faça!!!! 
Somente com experiências é que você consigará transpor a barreira dos "sem graça" e se juntar ao grupo dos interessantes, que tem sempre algo novo e bom a contar da vida!
Vem!!! 

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

"Porque num dia comum e sem graça às vezes pousa no seu colo uma sensação de benção que te envolve como um beijo."
Deus, obrigadaaaa!!!

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Vi, reparei e refleti.

Passar três dias numa mineradora foi uma experiência impar na minha vida.
A mineradora ê um mundo dentro do mundo. Um mundo com leis e regras próprias. Um mundo com mil realidades contidas nele.
Vi tanta coisa por aqui que me remeteram para a realidade lá fora.
Vi um senhor chorar porque não sabe  ler e escrever direito. Enquanto no mundo aqui fora muita gente não faz absolutamente nada com o conhecimento que possui.
Vi homens e mulheres que ficam até meses sem a companhia da família. Enquanto no mundo aqui fora ha quem veja seus queridos todos os dias, mas tudo se resume a isso, apenas vêem.
Vi jovens trabalhando duro, no meio do nada, porque sonham com a palavra chamada "futuro", enquanto no mundo aqui fora há jovens desperdiçando toda a condição que possuem, sem o menor interesse no amanhã.
Vi que esses trabalhadores formam uma família, se defendem, enquanto muita família ai no mundo não sabe o que é união.
Vi crianças que moram em casinhas próximas à mineradora se divertirem com terra, enquanto no nosso mundo, nossos filhos embora possuam um guarda roupa lotado de brinquedos dizem " nao tenho com o quê brincar."
Eu vi a brava gente brasileira dando o sangue, os dias e as noites para contribuir com o progresso do mundo aqui fora. Um mundo que progrediu tanto que se esqueceu dos antigos princípios, que inverteu os valores, um mundo que como diria José Saramago apenas vê e já não repara.




quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Vivo em paz

Quem se ama gosta de, às vezes, estar só.
É uma oportunidade de curtir a própria companhia.
Bom fechar os olhos e deixar o pensamento fluir, as boas energias percorrerem o corpo, as emoções dançarem livremente.
Apreciar a natureza ao redor, se certificar de que ainda existe singeleza neste mundo.
Ouvir passarinhos cantarem e a água correr numa bica.
Abrir o coração a Deus e agradecer pelas bênçãos diárias.
Sorrir assistindo o vai e vem das formiguinhas.
Sentir o vento, descobrir desenho em nuvens, encher o coração de paz.
É um privilegio trabalhar e ao mesmo tempo desfrutar da minha ilustre companhia.








terça-feira, 27 de agosto de 2013

Enfim, me sobram alguns minutinhos para passar por aqui.
Estou em Conceição do Mato Dentro realizando um trabalho  para a AngloAmerican. Passarei os próximos três dias dentro de minas, em contrapartida terei noites sossegadas numa pousada linda e aconchegante.
Hoje, no percurso até aqui, pude contemplar paisagens maravilhosas. Montanhas, árvores, flores e um por do sol encantador. Tudo numa harmonia perfeita.
Observando tanta perfeição fiquei me perguntando como podem alguns acreditar que tudo veio do acaso? 
Eu costumo dizer que é preciso ter mais fé pra duvidar de Deus do que pra crer nEle. 
Eu concordo com o que é dito na biblia: o firmamento anuncia as obras das Tuas mãos.








quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Gente especial


Encantam-me as pessoas que sabem lidar com a vida.
Pessoas que tem equilíbrio. Que sabem ser especiais, mesmo num mundo tão problemático.
Gente que não tem vergonha de ser quem de fato é. Que não faz média, não usa disfarce.
Gosto daquelas pessoas que se aceitam, que se gostam, que se respeitam. Gente assim não tripudia com os outros, não folga, não diminui.
Admiro quem tem garra, determinação, que mira num objetivo e trilha o caminho necessário para alcançá-lo. Essas pessoas vão longe.
Me encanto com quem sabe admirar o simples da vida, quem valoriza pessoas e não coisas, que aprecia por do sol e noite estrelada. Gente que se importa com gente.
Gosto daquelas pessoas que não aderem à grosseria e a rudez, gente que sorri inteiro, que estende a mão, que é tolerante. Gosto das delicadezas miúdas dessas pessoas.
Admiro quem se esforça para ter elegância no comportamento, que batalha contra suas imperfeições e que exige de si, nunca do outro.

Eu gosto desse grupo de pessoas  porque embora sejam poucas são elas que fazem diferença nesse mundo.

Fabiana Paiva

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Ando sem tempo

Gosto quando me falta o tempo livre, é sempre sinal que os negócios vão bem.
E de repente, me peguei pensando que tudo anda muito bem.
A família feliz, os amigos ao redor, a saúde estabilizada.
As finanças em ordem, os sorrisos em derredor, amor em demasia.
Novos projetos, coleção de afetos, muitos beijinhos.
Comunhão com Deus, cuidado com o próximo, multidão de carinhos.
Apartamento novo, leveza de alma, sonhos fresquinhos.
Nuvem colorida de alegria, chuva de bençãos Divinas.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Sumo de ideias

Faz muuuuito tempo que eu tô nessa vibe.

Esqueci a tal exatidão. Dar nome aos bois, colocar os pingos nos "is", bater de frente. Tirei férias disso tudo. Se algum desaforo bater à minha porta, não atendo. Canto ciranda, enfeito minhas tranças, converso com a esperança. Perdi minha mala carregada de ressentimentos na estrada do sossego. Mudei a rota, arranquei as portas que aprisionavam meu sorriso. Me perdi do tempo. Me encontrei em mim.

Renata Fagundes 

quinta-feira, 15 de agosto de 2013




"...E ali reclinado sobre a vida, descobriu aquilo que nunca suspeitara. Não era ele, com seus passos, que ordenava tudo, que comandava o salto do grilo, o vento da espiga, as pás do moinho. Mas eram eles, grilo e espiga, cada um deles que, com seus pequenos movimentos, faziam os passos do tempo."

Marina Colasanti


domingo, 11 de agosto de 2013

Dia do Advogado

Hoje, além de felicitar os papais, parabenizo a todos os nobres colegas que assim como eu são indispensáveis à administração da justiça.
Sucesso e realização a todos os advogados. 


Guimarães Rosa: " Viver... O senhor sabe, viver é et cetéra."  

No meu caso é et cetéra, et cetéra e tal...

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Liberdade Religiosa

A liberdade religiosa é um dos direitos fundamentais do homem, assegurado constitucionalmente em nosso país.

Não obstante, ainda existem afrontas a esse direito. Atenta a isso, a deputada Liza Prado apresentou o projeto de lei n. 3.924/2013. que objetiva assegurar a alunos que por crença guardam o sábado, sejam dispensados das atividades curriculares neste dia.

Ontem, na Assembléia Legislativa de Minas Gerais foi realizada Audiência Pública para debater o assunto.

Embora advogada e conhecedora dos arcabouços jurídicos que envolvem a questão, optei como membro da Igreja Adventista  falar ao plenário sobre as experiências que enfrentei enquanto estudante.

Infelizmente, em todos os estágios de minha formação enfrentei obstáculos referentes a guarda do sábado. Não foi sem luta e situações delicadas que cheguei onde estou.

E foi em nome de milhares de estudantes adventistas que passam pelo que eu passei que pedi à casa pela aprovação do projeto supra citado.

No link abaixo reportagem sobre o debate ocorrido ontem, onde minha fala foi mencionada.


https://www.almg.gov.br/acompanhe/noticias/arquivos/2013/08/07_audiencia_sobre_projeto_guarda_sabatica.html



Ação Social

Olha nosso projeto aí gente!!!

Como coordenadora da Ação Solidária Adventista na minha localidade, procuro desenvolver ações sociais que atendam os interesses da nosso comunidade.

O segundo mandamento deixado por Deus é "ama teu próximo como a ti mesmo" e nosso objetivo é demonstrar o amor que sentimos pelas pessoas oferecendo a elas vários atendimentos gratuitos.



http://www.mineiracentral.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=486:asa-adra-e-calebes-se-unem-em-prol-da-solidariedade&catid=62:adra&Itemid=273

terça-feira, 6 de agosto de 2013



 "Na lenta e esquiva aproximação aos ideais, são necessários conceitos justos, grande experiência e boa vontade." 

Kant

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Vivendo e saboreando



"Trata de saborear a vida; e fica sabendo, que a pior filosofia é a do choramingas que se deita à margem do rio para o fim de lastimar o curso incessante das águas.
 O ofício delas é não parar nunca; acomoda-te com a lei, e trata de aproveitá-la." 

Machado de Assis em "Memórias Póstumas de Brás Cubas" 







quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Família Feliz

Qual é a receita da família feliz? Aquela em que o entendimento, o respeito, a doçura e a colaboração superam de longe os momentos de conflito? Atitude consciente é a chave da harmonia. Essa é a resposta da psicóloga Heloísa Schauff, de São Paulo.

Hoje tive a idéia de levar minha família para me acompanhar em um trabalho. Foi uma atitude pensada que nos proporcionou uma tarde deliciosa. Uni o útil ao agradável. Segundo a psicóloga supra citada o lazer é fundamental para fortalecer vínculos, recarregar as baterias e claro, rendem um bom álbum de fotos! 
Em Mariana/MG