sábado, 5 de abril de 2014

Desacelerar é preciso

Minha filosofia de vida é: buscar algo bom em qualquer coisa que aconteça. Estou com dengue, pela segunda vez. É realmente péssimo. Mas, tem uma coisa boa: tenho tempo livre! Vai dar até para escrever no blog, coisa que não consigo fazer há dias. 
Li agora a notícia sobre o José Wilker. Considerava ele um ícone, um debatedor da situaçao humana, uma alma poética e uma voz encantadora. Vítima de infarto fulminante. 
Na última semana, dois conhecidos morreram vítimas desse mesmo mal. A diferença é que eram bem mais novos. Fico pensando: Será que esse aceleramento da vida tem influenciado na ocorrência de infartos fulminantes? 
Está tudo rápido demais, o dia a dia exige demais de nós, nos desgastamos muito, repousamos pouco, nos estressamos demais, relaxamos de menos. 
Talvez seja a hora de como disse Rubem Alves , aprender com os caracóis. 
Se você nunca leu " a pedagogia dos caracóis" vale a pena conhecer. Divido com vocês um trechinho.

"Mamãe, os professores dizem 'É preciso andar rápido, nada de vagareza, para frente, para frente. Mamãe, onde é a frente?". E aí ele passa a falar sobre a virtude pedagógica da vagareza. Pode ser que "chegar na frente" não seja tão importante assim! Quem sabe o "estar indo" seja mais educativo do que chegar.
No estar indo aprende-se um jeito de ser. 
Nietzsche se ria dos turistas que subiam as montanhas como animais, estúpidos e suados. Não haviam aprendido que há vistas maravilhosas no caminho que sobe... Riobaldo acrescentaria: "O real não está nem na saída e nem na chegada; ele se dispõe para a gente é no meio da travessia.A lentidão é virtude a ser aprendida num mundo em que a vida corre ao ritmo das máquinas. "

Acredito que precisamos desacelerar. Curtir a travessia. Se demorar nos detalhes. Ou diminuímos o passo ou encurtamos a vida. 

2 comentários:

  1. Feliz sábado!
    excelente texto, parabéns!
    Beijinho em seu coração
    Nicinha

    ResponderExcluir